NOTA OFICIAL SOBRE COVID-19


                 Prezados Pais ou Responsáveis, 


      Nossa maior prioridade é a segurança dos nossos alunos. Estamos integralmente focados em garantir um ambiente de aprendizagem seguro.


Junto ao grupo Tria, criamos um protocolo de segurança para a retomada das aulas presenciais que segue esta nota.

Para acessar o documento clique aqui: 

Agradecemos mais uma vez o apoio e a colaboração de todos, 


Atenciosamente, 


Viviane Ligabue
Kevin Sorger

Katia Sorger

DÊ AO SEU FILHO A HUMANIDADE QUE ELE MERECE.

I. - Orientações gerais  

Com o retorno gradual das atividades presenciais, elaboramos um conjunto de medidas e adaptações necessárias, assim como a implantação de protocolos de saúde e segurança  para que haja um retorno tranquilo de forma a minimizar os riscos da COVID-19 aos alunos  e à equipe escolar. 

Estamos acompanhando a experiência de retorno às atividades em outros países e outros  estados brasileiros, assim como as recomendações de órgãos internacionais como a OMS –

Organização Mundial da Saúde e Unicef e publicações científicas que dão respaldo à  elaboração de protocolos. 

A criação de protocolos de saúde para a retomada das atividades compreende um grande  número de ações que vão desde o acesso de funcionários e alunos ao ambiente escolar até  os detalhes de cada área interna e seus respectivos processos.  

Para auxiliar as famílias a compreenderem as ações e protocolos necessários que estão sendo  tomados para a reabertura da escola, o Grupo Tria desenvolveu para a Kindy Escola  Americana o Protocolo de volta as aulas – COVID-19.  

Neste material, você encontrará as orientações para a retomada das atividades de maneira  segura nas diferentes áreas e setores da escola.  

 

 

II. - Acolhimento emocional  

Com a retomada das atividades, se faz necessário o acolhimento emocional e psicológico,  tanto dos alunos que permaneceram muitos meses em casa quanto para os colaboradores  da escola. O retorno será bem diferente de um retorno de férias, visto que tanto os alunos,  como funcionários estarão em frente à uma nova realidade, onde a escola que frequentavam  presencialmente, hoje está rigorosamente com novos protocolos de higiene  e o distanciamento social.  

Assim, é muito importante o compartilhamento das emoções vivenciadas pelas crianças,  adolescentes e por seus familiares nesse período de pandemia, para que essa retomada seja  mais tranquila e assertiva. Os colaboradores da escola serão todos capacitados para  o acolhimento dos alunos e também para a realização das medidas sanitárias necessárias  para minimização dos riscos da COVID-19. 

● Referenciar Protocolo socio-emocional.

  

 

II. - Vamos entender a retomada das atividades?

Qual o tempo de sobrevivência do vírus do Covid-19 em superfícies  não higienizadas?  

 

 

 

Porém o vírus é altamente sensível a detergente ou sabão, altas temperaturas (acima de 45°C)  e luz ultravioleta. 

Com a informação científica necessária conseguimos planejar estratégias que envolvam as  práticas escolares do cotidiano agregando cuidados e manejos dessas atividades de forma a  minimizar a presença da contaminação do vírus nas superfícies, locais e setores da escola como um todo. Assim como os funcionários devidamente treinados possuirão os cuidados  necessários durante suas atividades e supervisão dessas atividades pelo Grupo Tria perante  aos protocolos sanitários.  

< >- O que a Escola fará para que o retorno das atividades aconteça?   A escola utilizará um documento que abrange uma lista de ações necessárias que tornam  essa retomada possível e segura a fim de minimizar riscos de contaminação do COVID-19.  Algumas dessas ações abrangem:  < >-  Atualização e treinamento de protocolos de higiene de mãos, pessoal e ambiental para  colaboradores e também para alunos na retomada;  - Atualização e treinamento de protocolos que envolvem a higiene pessoal dos alunos, tais  como troca de fraldas de alunos iniciais, idas ao sanitário, escovação de dentes, banhos e etc  para os colaboradores envolvidos nessas etapas; - Implantação de protocolo de Etiqueta respiratória e uso de máscaras entre colaboradores  da escola e para alunos;   < >- Atualização e treinamento constante de protocolos referentes à limpeza de todos setores da  escola, incluindo salas de aulas, refeitório, quadra, áreas de convivência e materiais  utilizados;  - Implantação de protocolo de higienização de celulares e itens compartilháveis dentro do  ambiente escolar  - Gestão de resíduos produzidos na escola, retirada de ao menos três vezes ao dia e sempre  que necessário, com cuidado de manter sacos bem fechados e utilização de Equipamento de  Proteção Individual (EPI) pela equipe responsável (máscara, protetor facial ou óculos de  proteção, e luvas).  - Implantação de procedimento para manutenção de ventilação ambiental dentro das áreas  da escola, mantendo portas e janelas sempre abertas.  - Monitoramento de sintomas de funcionários e alunos diariamente.  - Implantação de condutas sanitárias ao recebimento de materiais e alimentos.  - Organização dos horários de lanches/refeições dos alunos e funcionários, respeitando o  distanciamento em 1,5 m entre as pessoas  - Atualização das fichas cadastrais e de saúde dos alunos (especialmente telefones e pessoas  autorizadas para pegar as crianças e adolescentes em caso de emergência e no horário de  saída)  - Ajuste do calendário anual com suspensão de atividades coletivas que demandam  concentração de muitas pessoas no mesmo local.  - Treinamento e formação de todos colaboradores para aplicação de todos protocolos  sanitários e também para reconhecerem sintomas de quadro gripal e assim tomarem as  medidas necessárias.  - Ampliação de frequência de procedimentos de higiene e aplicação de cronogramas de  limpeza e desinfecção ambiental, destacando o uso de água e detergente neutro, hipoclorito  de sódio e álcool 70% líquido conforme espaço higienizado;  - Manutenção de higienização de caixas d’água, controle de pragas, exames periódicos dos  colaboradores e manipuladores de alimentos, calibração de termômetros, etc.   - Separação de sala para acolhimento de pessoas (alunos ou colaboradores) que  apresentarem sintomas de COVID-19. Este ambiente deverá dispor das medidas sanitárias  necessárias para que a pessoa com sintomas possa aguardar neste espaço até que um  membro da família ou autorizada possa vir buscá-la;  - Instalação de totens nas entradas, dispensers de álcool 70%.   

 

 

 

 

 

 

V.  - Mas como lidar com o distanciamento entre os alunos?  

Com a retomada das atividades escolares presenciais o distanciamento físico será necessário enquanto permanecer a pandemia. Para as crianças menores é muito importante a  abordagem do distanciamento de forma acolhedora e sensível. Algumas estratégias são  muito importantes: 

< >- Abordar o autocuidado e higiene pessoal de forma acolhedora   - Proporcionar comunicação necessária para que a criança converse sobre seus medos e  sentimentos  - Incentivo a outras formas de demonstração de afeto e carinho como alternativas ao contato  físico  - Reuniões com os alunos maiores com conversas francas sobre o vírus, as necessidades de  proteção da escola, a importância do distanciamento social e as demais medidas de higiene  necessárias.    

VI. - Como a família pode auxiliar nesse processo de retomada?  

< >- Manter as unhas dos alunos limpas e curtas (As mãos são principais fontes de contaminação,  por esse motivo recomendamos essa medida de higiene)   - Armazenamento de itens de higiene pessoal, tais como escovas e pastas de dente em estojo  próprio e individualizado, de preferência feito em material lavável, para higienização diária.   - Se for necessário o uso de toalhas estas devem ser de uso estritamente pessoal devendo ser  trocadas diariamente. As toalhas deverão ser identificadas com nome completo e turma do  aluno (com caneta para tecido ou bordadas), para evitar trocas. As toalhas deverão voltar  para casa diariamente para higienização.   - Uniformes trocados diariamente, também recomendamos a higienização diária ao chegar  em casa, assim como a tomada de banho e cuidados de higiene pessoal.   - Envio de garrafas para beber água de uso pessoal pelos alunos. Como medida sanitária os  bebedouros com jato para boca serão desativados e os alunos e funcionários só poderão  utilizar garrafas tipo squeeze ou copos descartáveis para beberem água. Orientamos a  identificação com nome completo e turma do aluno em cada garrafa enviada para evitar  trocas.   - Orientamos a higienização constante de garrafas, recipientes para lanche, mamadeiras e  chupetas. Também orientamos a devida identificação por nome e turma, para evitar trocas e  compartilhamento.  < >- Para crianças que ainda utilizam chupetas, sugerimos a presença de chupetas reservas na  mochila. Essa solicitação compete ao fato da demanda de tempo da higienização da chupeta suja caso a mesma venha a cair ao chão, assim o aluno utilizará a chupeta reserva limpa.    < >- Não será permitido o envio de brinquedos de casa para a escola devido ao risco de  contaminação entre alunos.   - Recomendamos o envio de lancheiras e mochilas feitas em material lavável para facilitar a higienização ao chegar em casa. Recomendamos borrifar álcool 70% líquido nas mochilas  ao chegar em casa. Evitar mochilas de rodinhas.   - O envio de materiais deve acontecer sempre dentro da mochila do aluno.   - Não enviar alunos com sintomas gripais para a escola. Recomendamos a monitoração de  temperatura em casa antes do envio do aluno. Alunos com sintomas gripais não poderão  acessar a escola. Em caso de temperatura acima de 37,5°C deve-se aguardar em local  arejado por 20 minutos e fazer nova medição, se a temperatura persistir acima orienta-se  que o funcionário/aluno retorne para casa e realize o monitoramento dos sintomas.   - Alunos com suspeita/ confirmação de COVID-19 não devem ser enviados à escola, assim  como alunos com familiares ou pessoas próximas com suspeita/confirmação de COVID-19.  Nestes casos avisar a escola imediatamente.  - Caso algum aluno teste positivo, a turma toda terá que ficar o período de quarentena sem frequentar a escola, a não ser que seja apresentado exame com resultado negativo.  VII. - Como funcionará a entrada e acesso ao ambiente escolar?   < >- Para evitar aglomerações, caso na chegada hajam muitos carros, solicitamos que  aguardem no carro ou que busquem um espaço mais a frente aguardando por um staff da  escola, proporcionando acesso em grupos menores.   - Horários específicos para as crianças que usam transporte escolar serão informados a todos. por favor evitem esse horário de chegada.  - Demarcação para assegurar o distanciamento seguro de pelo menos 1,5 m.   - Funcionário específico paramentado (protetor facial e máscara, luvas, touca e avental) para  a triagem, orientação e organização da entrada, evitando aglomerações.  - Aferição de temperatura na entrada com termômetro tipo testa. Pessoas com sintomas de  síndrome gripal (espirros, tosse, dificuldade para respirar, dores no corpo e diarreia) não  terão a entrada permitida. Pessoas com temperatura acima de 37,5°C deverão aguardar em  local arejado por 20 minutos e fazer nova medição, se a temperatura persistir acima orienta-se que o funcionário/aluno retorne para casa e realize o monitoramento dos sintomas.  - A entrada contará com tapete sanitizante que deverá ser utilizado toda vez que alguém ingressar à escola.  - Controle do fluxo de pessoas, entrada de pais e fornecedores não será permitida em horário  de aula.  - Higienização das mãos com álcool gel 70%.  - Protocolo de higienização de eletrônicos e celulares dos funcionários da escola.   

< >- Não é permitida a entrada de familiares na escola enquanto durar a pandemia, exceto  em situações de amamentação com a devida triagem de sintomas, aferição de temperatura  e uso de máscaras.   - É aconselhável que a mesma pessoa, exceto as de grupo de risco para Covid-19, leve e  busque o aluno todos os dias na escola, caso a criança não faça o uso de transporte escolar.  - Atividades como visitas e serviços de manutenção acontecerão somente fora do horário de  aula e com as medidas necessárias de triagem.  

 

 

 VIII. - Porque utilizar máscara?  

O uso correto da máscara, associado ao conjunto de medidas de proteção, funciona como  barreira física para redução da disseminação de gotículas suspensas no ar quando pessoas  infectadas conversam, tossem ou espirram, diminuindo a exposição e o risco de infecção para  a população em geral. 

*O uso de máscaras é contraindicado para crianças com menos de 5 anos, crianças e  adolescentes que apresentem atrasos no desenvolvimento, que afetem a capacidade motora  e respiratória, e com condições comportamentais específicas.

 

IX. - Qual máscara devemos utilizar?   

As máscaras de uso não profissional podem ser produzidas em casa, adquiridas no comércio  ou diretamente por artesãos, conforme as especificações técnicas da Prática Recomendada  ABNT PR 1002:2020 – Máscaras de Proteção Respiratório de uso não profissional – Guia de  requisitos básicos para métodos de ensaio, confecção e uso.  

  

X. - Máscara e conduta pessoal 

 

Segundo a Anvisa (2020) para que o efeito da máscara seja efetivo é necessário considerar  os seguintes parâmetros: 

  1. - Ajuste e o vazamento de ar relacionado à máscara 

  2. - Grau de aderência ao uso e descarte adequado da máscara 

Realizaremos treinamento com os colaboradores sobre o uso correto, trocas, higienização e  descarte das máscaras. 

  1. - A máscara deve ser de uso individual e não compartilhável 

  2. - A higienização das máscaras de tecido devem ser adequadas, assim como o descarte  adequado das descartáveis  

  3. - Realizar a higienização constante das mãos, antes e após a colocação das máscaras e  durante as atividades ao longo do dia; 

  4. - Mesmo que esteja de máscara, manter a distância de mais de 1,5m de outras pessoas. 

  5. - Ao beber água e comer, não guardar as máscaras no bolso ou deixar em cima das mesas,  mas guardar em recipiente ou saco plástico identificado. 

Atenção: Pessoas com suspeitas de contaminação/ contaminados e pessoas que cuidam de  pacientes contaminados não devem utilizar máscaras de uso não profissional e sim as  descartáveis. 

 

 

XI. - Higienização pessoal

 

 

Os lavatórios e pias deverão estar abastecidos com dispensers de sabonete líquido, álcool gel  70% e papel toalha para secagem de mãos. Nestes espaços deverá haver orientações visuais  de lavagem de mãos com linguagem adequada à faixa etária.  

*As mãos devem ser higienizadas pelos colaboradores e alunos sempre que:

  1. - Acessar a escola, salas de aulas, refeitórios. 

  2. - Após utilizar sanitário/vestiário 

  3. - Após tossir espirrar, assoar o nariz, secar o suor, tocar no corpo, rosto, cabelo e trocar a  máscara 

  4. - Ao tocar em objetos não higienizados ou compartilhados 

  5. - Após tocar em dinheiro, caixas, garrafas, maçanetas, interruptores, sapatos ou outros  objetos estranhos 

  6. -Antes e após utilizar luvas descartáveis.

 

 

XIII. - Quando a escola identificar um aluno ou colaborador com sintomas gripais  quais devem ser os procedimentos adotados?

Será realizado o informe de toda comunidade escolar via circular e reforço das orientações  que alunos com sintomas respiratórios não frequentem a escola e procurem atendimento  médico em caso de persistência da febre, dificuldades de respirar, dores pelo corpo, dor de  cabeça e vômitos. 

 

XIV. -  Como será o recebimento de materiais e alimentos na escola?  

 Sabendo da importância da higienização dos objetos, materiais e superfícies devido ao tempo de permanência do vírus nesses locais realizaremos o rastreio de objetos e materiais que  entrarem no nosso espaço, realizando: 

1 - Esses materiais serão entregues preferencialmente após as 17h em área externa para  recebimento/chegada de materiais e gêneros alimentícios, onde ocorrerá a higienização /desinfecção antes da entrada ao ambiente escolar conforme protocolo sanitário. 

 

 

XV. - Higiene ambiental da escola   

 

A escola realizará um Programa de limpeza que abrangerá todos os utensílios,  equipamentos, superfícies e instalações antes do retorno das operações com processos que  serão supervisionados e controlados. Também se faz necessário:  

  1. - Aprimoramento das atividades de limpeza e frequência; 

  2. - Redobrar a higienização das superfícies de alta frequência de contato tais como: corrimões, maçanetas, torneiras, botões, puxadores, interruptores e outras superfícies.   3 - Reforçar a limpeza de mesas e cadeiras das salas e refeitórios a cada troca de turma; 

  1. - Aumento da frequência de higienização dos sanitários e vestiários; 

  2. - Retirada do lixo de todos os ambientes pelo menos três vezes ao dia; 

  3. - Uso de luz ultravioleta no período noturno para o combate de vírus e bactérias com efeito  germicida deixando o ambiente esterilizado. 

 

   

XVI. - Produtos de limpeza   

 

1- Caso seja necessário o uso de produtos de limpeza, usar produtos regularizados pela ANVISA e/ou MINISTÉRIO  DA SAÚDE com presença de indicação de uso e dentro do prazo de validade. Produtos de  uso profissional devem ser acompanhados de fichas técnicas e FISPQ – ficha de informações  e segurança de produtos químicos.  

2 - Álcool: Para a desinfecção pode ser utilizado o álcool líquido 70% etílico. A aplicação não  requer enxágue e é eficiente na eliminação do novo coronavírus e de outros vírus e bactérias. 

3- Água sanitária: Pode ser diluída para desinfetar pisos e superfícies. A concentração indicada  para desinfecção de superfícies sem contato com os alimentos é de 0,1% de hipoclorito de  sódio. 

  1. - Brinquedos utilizados pelas crianças.  

1- Brinquedos vindos de casa não devem ser levados para a escola, devido ao risco de  contaminação. 

2 - Ao optar por colocar brinquedos à disposição dos alunos, a escola deverá realizar medidas  de higiene necessárias com o objetivo de reduzir a contaminação do ambiente escolar e  proporcionar um ambiente mais seguro. 

XVII. - Etapas adotadas na higiene ambiental:

 

 

 

 

 

 

 

 

XVIII. - Como ficam os utensílios usados pelas crianças nas refeições?

 

Serão mantidos os processos de higienização e desinfecção dos utensílios já existentes antes  da pandemia, porém com reforço da orientação e monitoramento pelo Grupo Tria.  

Todos os utensílios serão higienizados com água e detergente neutro sem diluição e  finalizados com sanitizante, borrifando álcool 70% ou utilizando solução clorada (1 colher de  sopa de água sanitária para cada litro de água). 

XIX. - Brinquedo usados pelas crianças.  

   

  1. Para que seja possível a higienização é recomendada a diminuição de brinquedos e

materiais.

  1. Em relação ao armazenamento, os brinquedos serão separados em caixas organizadoras e identificados como “brinquedos limpos” e após o uso deverão ser armazenadas em caixa  identificada como “brinquedos sujos” para posterior higienização pela equipe de limpeza.  

 

  1. - Quanto à higienização, poderá ocorrer na própria caixa plástica ou em um balde com água  e detergente neutro por 10 minutos, depois colocar em uma outra caixa ou balde com água  para enxágue. Para realizar o processo de desinfecção, borrifar álcool 70% ou deixando os  artigos imersos em solução clorada seguindo a recomendação de tempo e diluição do  fabricante. 

  2. - É recomendado evitar o seguintes brinquedos e materiais devido a impossibilidade de  higienização adequada: 

    1. - artigos e brinquedos de madeira 

    2. - artigos elaborados em ou com partes em tecido, feltro ou pano (inclui-se fantasias, perucas,  chapéus, etc) 

    3. - massinha de modelar, “gelecas”; 

    4. - brinquedos pequenos de montar como “LEGO” ou com peças menores.   

 

 

XX. - Trocas de fraldas e higiene do trocador  

Para crianças que ainda necessitam de cuidados com a troca de fraldas a escola  deverá seguir o protocolo sanitário e revisão desses procedimentos de forma a assegurar a  qualidade da atenção a essas crianças e reduzir a exposição dos patógenos. 

Serão exigidos o seguinte procedimento:

  1. Deve ser realizada a higienização do trocador antes e após o uso.   

  2. O funcionário deverá estar paramentado com máscara, escudo facial ou óculos de proteção,  avental impermeável e luvas de procedimento descartáveis (não é recomendado utilizar as de  látex quando houver informações de crianças com alergias a látex) 

  1. - Higiene completa das mãos antes e após o procedimento 

  2. - Atenção na colocação e retirada das luvas a cada troca de fraldas 

  3. - As fraldas e luvas devem ser descartadas em lixeira com acionamento em pedal para evitar  o contato manual. 

  4. - Higiene das mãos da criança após o procedimento. 

  5. - Recomenda-se a retirada do lixo das fraldas ao atingir 2/3 da capacidade da lixeira, e no  mínimo 2 vezes ao dia.  

 

 

   

XXI. - Banho  

O banho deve ser realizado somente em caráter de emergência e realizado de acordo com  protocolo sanitário, com a colaboradora paramentada (avental, máscara e óculos de  proteção ou protetor visual) e com o uso de toalha individual limpa do aluno. O local onde  ocorrer o banho de emergência deve ser higienizado com detergente neutro e água, enxágue  com água corrente e desinfecção por álcool 70% líquido.  

XXII. - Escovação de dentes e uso de sanitários  

As colaboradoras que exercerem a função de auxiliar os alunos na escovação de dentes e  uso de sanitários deverão estar paramentadas com máscaras,  assim como deverão realizar a higiene completa das mãos antes e após as atividades.  

Assim como os itens de higiene pessoal dos alunos devem ser individuais e não poderão ser  compartilhados. Orientamos a identificação desses itens com nome completo e turma. 

 

 

XXIII. - Mamadeiras e chupetas  

Itens como mamadeiras, copos de transição e chupetas podem ser veículos de contaminação  sendo assim é de extrema importância a correta higienização desses itens.  

1- Cada item deve ser de uso estritamente pessoal, orientamos a identificação desses itens com  nome completo e turma para evitar trocas.  

< >- As mamadeiras e chupetas deverão ser higienizadas seguindo protocolo específico seguindo  o procedimento de lavagem com água morna e detergente neutro e desinfecção por calor,  fervidos por 15 minutos com água no fogão ou micro-ondas.   - Após a higienização as mamadeiras devem ser armazenadas secas em recipientes fechados  e limpos.  - Mamadeiras e chupetas com fissuras, desgaste e pontos escurecidos não devem ser  utilizados, sendo recomendada a troca devido à possibilidade de crescimento de fungos.   - Orientamos o envio de chupetas reservas pelos responsáveis devido à demanda de tempo da  higienização das chupetas sujas caso venham a cair no chão.  

 

  

XXIV. - Refeitórios e cozinha  

Medidas que serão tomadas nesses espaços: 

< >- Readequação para distanciamento de 1,5 metro.  - Marcações nas cadeiras, mesas e orientações aos alunos para não utilização  - Estabelecimento de horários para cada turma e revezamento de modo a permitir a  higienização das instalações    - Caso necessário, as refeições poderão ser oferecidas em salas de aula, respeitando o  distanciamento obrigatório e higiene necessária.    

 

< >- Auxiliares, professores e colaboradores envolvidos na distribuição das refeições e alunos  deverão realizar a higienização das mãos antes e após as atividades e utilizar toucas de  proteção nos cabelos, máscaras e luvas para auxiliar as crianças nos momentos das refeições  É recomendado que:  < >- Haja revezamento do uso dos espaços por turmas evitando aglomerações.  - Tenha a presença de um adulto para garantir que não haja o contato físico entre os alunos  - Atividades de educação física deverão priorizar esportes individuais sem contato físico.  4 - Atividades fora da escola devem ser evitadas  

XXVI. - Serviço de alimentação   

Algumas adaptações se fazem necessárias nesse momento da retomada: 

< >- Evitar uso de auto serviço (self-service) pelo contato coletivo com utensílios e possibilidade  de contaminação  - Evitar nesse momento acesso de familiares aos refeitórios reduzindo o uso à comunidade  escolar somente  - Porcionamento individual das refeições por funcionário paramentado (uniforme, máscara, luva, touca e avental).   - Marcações no piso ou organizadores de fila de forma a promover distanciamento de 1,5  metro.  - Uso de máscara até o momento da refeição  - Manter utensílios e talheres de consumo protegidos  - Flexibilização e escalonamento de horários de refeições possibilitando o distanciamento  obrigatório.